Movimento Estudantil na Agronomia

Movimento Estudantil Agronomia (FEAB)

FEDERAÇÃO DOS ESTUDANTES DE AGRONOMIA DO BRASIL – FEAB


por Daniel Araújo

Coordenação Nacional FEAB  – UFPR  2009-2010


A organização dos estudantes de agronomia teve inicio há mais de 50 anos. A primeira organização estudantil ocorreu juntamente com os estudantes de medicina veterinária, onde foi criada em 1951 a União dos Estudantes de Agronomia e Veterinária do Brasil (UEAVB), durante o II Congresso dos Estudantes de Agronomia e Veterinária. Essa organização durou somente até 1955, onde os estudantes de agronomia criaram sua própria organização.

Em 1954 os estudantes de agronomia realizaram seu primeiro congresso, na época CBEA – Congresso Brasileiro de Estudantes de Agronomia. Durante o II CBEA foi criado o Diretório Central dos Estudantes de Agronomia do Brasil (DCEAB). O DCEAB sofreu duros golpes durante o regime militar, onde a exemplo da União Nacional dos Estudantes (UNE) e outros movimentos sociais populares, em 1968 caiu na clandestinidade, através do Ato Institucional número 5 (AI-5), decreto que proibiu a reunião de pessoas para fins políticos. As atividades dos estudantes de agronomia foram quase totalmente interrompidas entre os anos de 1968 e 1971. Em 1972 realizou-se o 15° Congresso Nacional dos Estudantes de Agronomia – CONEA, em Santa Maria/ RS. Neste evento se retorna o movimento em nível nacional, com a fundação da Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil – FEAB, que é até hoje, a entidade máxima dos estudantes de agronomia do Brasil.

Desde sua fundação a entidade é protagonista de inúmeras conquistas que asseguraram mudanças no curso de agronomia; como o fim da Lei do Boi (cota de 50% de vagas para filhos de fazendeiros), o Currículo Mínimo Nacional, a Lei dos Agrotóxicos (receituário agronômico), a discussão diferenciada de Ciência e Tecnologia, a necessidade de modelos agrícolas alternativos ao da “revolução verde”, a proposta de Agroecologia, entre outras, chegando a importantes momentos no seu processo histórico. Paralelamente desenvolveu-se a aproximação com os movimentos sociais populares do campo (sendo hoje uma as sete organizações que compõe a Via Campesina – Seção Brasil), a campanha nacional de reflexão sobre gênero, a criação de uma entidade latinoamericana que abrange as federações de cada país (CONCLAEA – Confederação Caribenha e Latino-Americana de Estudantes de Agronomia), além da participação nas discussões específicas da universidade e do movimento estudantil (ME). Além disso, há duas décadas a FEAB vem realizando os Estágios Interdisciplinares de Vivência, atividade que recebeu prêmio da UNESCO, como “Ação de Destaque da Juventude da América Latina”. Esses estágios são realizados nas áreas de assentamento da Reforma Agrária e em comunidades pesqueiras, quilombolas e indígenas. Em virtude de se caracterizar como movimento estudantil, a FEAB tem como objetivo primordial a transformação da sociedade, dentro do espaço da universidade e também fora dela, pautando um amplo e contínuo processo de formação política.

 

fonte: http://www.caagrouenf.wordpress.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: